Segundo dia do Seminário conta com Oficinas de qualificação de Atenção Primária.

No segundo dia do “Seminário de Qualificação do Desempenho na APS”, aconteceram as oficinas de qualificação de Atenção Primária. As oficinas foram realizadas de forma regionalizada, sendo divididas nas 9 macrorregiões. Para Rosana Fialho, apoiadora institucional da região leste, a Oficina do Previne Brasil, para os municípios da Bahia, foi uma grande oportunidade de qualificação sobre a temática, melhor entendimento dos processos, esclarecimento de dúvidas, troca de experiências exitosas para melhoria das informações, além de possibilitar maior integração entre gestores e técnicos do Ministério da Saúde, COSEMS, Sesab e municípios.

“A oficina foi importante para estreitar os laços com os municípios e colocar as dúvidas na roda e fomentar a importância de compartilhar experiências de como alcançar os indicadores de desempenho, considerando que a problemática é próxima para todos.”, salientou Nilma Santos, apoiadora Institucional macro Sudoeste.

Com a condução por apoiadores da Diretoria de Atenção Básica, do Telessaúde-BA, do COSEMS e do Ministério da Saúde, os gestores e técnicos, das secretarias municipais e estadual, tiveram a oportunidade de debater os indicadores de acordo com a realidade de cada região. Monica Lemos, sanitarista Sesab e coordenadora de apoio institucional, entende que o momento foi importante de discussão sobre a Atenção Primária no Estado da Bahia. De acordo com a coordenadora, “foi muito além de discutir o alcance de metas, foi uma oportunidade de dialogar sobre o cuidado ofertado à nossa população e todo o empenho dos municípios.”

Para iniciar a programação, cada equipe promoveu dinâmicas, possibilitando uma maior interação entre os participantes. Houve também apresentações dos indicadores, seguido de um debate. No segundo momento todas as equipes se reuniram novamente, para um debate geral e o encerramento do dia.

Nas palavras de Patrícia Carvalho, supervisora do Telessaúde, “O seminário superou o objetivo proposto, visto que os gestores puderam tirar dúvidas relacionadas as divergências apresentadas entre as informações que aparecem na base de dados local, e no Sistema de Informação em Saúde (SISAB). Uma vez que, estas informações, são base para geração dos Indicadores em questão.”

Com o mesmo sentimento, a equipe de apoio institucional da macrorregião Extremo Sul, finalizou o evento com o seguinte depoimento: “O momento da oficina de hoje é uma oportunidade rica de diálogo e troca de experiências mais próximas entre o território, Estado e MS. Este encontro, além de poder tirar dúvidas sobre o Previne Brasil, amplia os debates sobre a qualificação do processo de trabalho na atenção básica, competências profissionais e responsabilidades Sanitária sobre o nosso território. Outro ganho é compreender as dificuldades apontadas pelos municípios com o uso do sistema e discutir possíveis melhorias junto ao MS, desta forma, temos ganhos em todos os níveis de atenção.”

COMPARTILHE
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp