Quando a PrEP (Profilaxia Pré-Exposição) é indicada?

A Profilaxia Pré-Exposição ao HIV é uma das estratégias oferecidas no SUS para prevenção combinada do HIV. O seu uso não descarta a importância do uso regular de preservativos e a imunização para outras ISTs. Consiste na tomada diária e contínua de 01 comprimido combinado de 2 antirretrovirais, tenofovir e entricitabina, em dose fixa de 300/200mg. Sua elevada eficácia é comprovada em estudos clínicos mundial e está diretamente relacionada à adesão ao uso regular, embora não exclua completamente o risco de infecção. O efeito de proteção das medicações se inicia após 7 dias de uso para relação anal e 20 dias de uso para relação vaginal.
É importante destacar que nem todas as pessoas com vida sexual ativa têm indicação ao seu uso. São considerados prioritários os públicos: gays e homens que fazem sexo com homens; pessoas trans; profissionais do sexo; e parceiros(as) soronegativos(as) de pessoas vivendo com HIV.
Os critérios de indicação são:
• relação sexual anal (receptiva ou insertiva) ou vaginal, sem uso de preservativo, nos últimos seis meses E/OU
• Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) recorrentes
• E/OU uso repetido de Profilaxia Pós Exposição (PEP);
• Nos casos de parceria sorodiscordante, a relação sexual anal ou vaginal com uma pessoa infectada pelo HIV sem preservativo
Para os usuários que estejam incluídos nestes grupos e critérios citados, após aconselhamento, uma vez realizada testagem rápida negativa para HIV, a prescrição da PrEP já pode ser realizada para os primeiros 30 dias, com solicitação de outros exames a serem avaliados no retorno (pesquisa de sífilis, clamídia e gonococo; hepatite B; hepatite C; Clearance de creatinina; ureia e creatinina séricas; pesquisa de proteinúria em amostra isolada de urina; AST e ALT).
O profissional prescritor deve avaliar cuidadosamente se o usuário compreende a finalidade do uso e importância de adesão ao uso e acompanhamento e sua motivação. O preservativo é fundamental, uma vez que a PrEP não protege contra outras ISTs. Além disso, deve-se esclarecer sobre possíveis eventos adversos, que costumam ser raros e transitórios.
A primeira consulta de reavaliação deve ocorrer após 30 dias de iniciada a PrEP, com seguimentos posteriores trimestrais, incluindo avaliação laboratorial; eventos adversos; adesão; e exposições de risco.

Referência:

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) de Risco à Infecção pelo HIV. Brasília, 2018.

COMPARTILHE
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp