Conhecimento em saúde e determinação ajudam a mudar a vida de pessoas com obesidade

Hoje, 4 de março, Dia Mundial da Obesidade, o planeta chama a atenção para a doença que é fator de risco para problemas cardiovasculares, diabetes, hipertensão, vários tipos de câncer, doenças osteoarticulares, distúrbios do sono e depressão. Por esse motivo, o Cedeba traz exemplos de usuários que conseguiram avanços importantes, a partir da mudança de estilo de vida, com redução significativa do peso e agregando bem-estar físico e emocional. A diretora do Cedeba, Reine Chaves, destaca o trabalho do Núcleo de Obesidade, que faz assistência multidisciplinar, valorizando o conhecimento e a humanização, condições importantes para a adesão ao tratamento.

Juliana, um exemplo

Eu era assim, fiquei assim! Esse apelo há muito tempo vem sendo usado para divulgar soluções milagrosas para a obesidade. Mas as fotos de Juliana Braga, 37 anos, acompanhada há sete anos no Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), são reais e evidenciam as grandes transformações físicas e emocionais que experimentou ao eliminar 45 quilos sem fazer cirurgia bariátrica. Com 1,56 de altura, reduziu o peso de 117 para 72 quilos.

Natural de Muritiba, no Recôncavo Baiano, Juliana se casou aos 16 anos, é mãe de uma filha de 20 e já tem um neto. Apesar da grande redução de peso que provocou profundas mudanças em sua vida, ainda sente dificuldade para identificar-se no novo corpo. “As lembranças permanecem. Afinal, o aumento do peso vem de longe. Desde a gravidez”, conta ela.

A obesidade, além de reduzir a qualidade de vida de Juliana, que não conseguia dormir bem, também causou depressão. ”Eu não queria sair de casa. Deixei de trabalhar – como confeiteira – e só sentia vontade de ficar deitada. Não tinha ânimo para nada.”

A chegada ao Cedeba, segundo ela, foi muito importante para o início das mudanças em sua vida, permitindo a ela entender a obesidade e, também, a importância do compromisso com as mudanças. E isso não aconteceu num passe de mágica. Foram muitas palestras, orientação com psicólogo, nutricionista e psiquiatra.

Juliana leva a sério os exercícios físicos por ter consciência da importância para o gasto calórico e, também, pelo bem-estar que proporciona. São seis dias de corrida e cinco dias de academia por semana. Houve também mudanças importantes na alimentação.

“Aprendi com as nutricionistas do Cedeba a percorrer o caminho da alimentação saudável, incluindo mais frutas e saladas.”Como tudo. Só eliminei açúcar e farinha de mandioca”.

Hoje, ao lembrar dos problemas que enfrentou por causa do excesso de peso, Juliana destaca um que a deixava muito contrariada: não encontrava roupas para comprar.

“Eu estava com 23 anos quando procurei um traje para ir ao casamento de uma prima e não encontrei. Foi uma grande frustração, mas hoje a situação mudou, trazendo-me vontade de viver a vida plenamente”.

Fonte: Cedeba

COMPARTILHE
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp